Projeto RE-EAT Rocha Pear 

De Iniciativa Privada com Apoio: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (SI ID&T) | I&D Empresarial

Título do Projeto

Estratégias de recuperação de amadurecimento no pós armazenamento da pera Rocha tratada com 1-MCP, dirigida a diferentes mercados

IMG_5740.JPG
Imagem2.jpg
IMG_20180110_1559499.jpg
Imagem4.jpg

Síntese do Projeto

O setor da pera Rocha gera cerca de 120 a 130 milhões €, dos quais cerca de 90 milhões provêm da exportação. Contudo, as atuais tecnologias de conservação disponíveis não têm permitido o amadurecimento normal da pera e o desenvolvimento da sua qualidade organolética.

As centrais fruteiras debatem-se atualmente com os problemas resultantes da utilização do 1-metilciclopropeno (1-MCP), um antagonista do etileno, utilizado na prevenção do escaldão superficial, mas que impede o amadurecimento normal do fruto e afeta a qualidade final. Estes constrangimentos, atualmente sem alternativa, resultam em elevadas perdas económicas para o setor. A sustentabilidade da produção está assim condicionada pela capacidade de desenvolvimento de novas estratégias de monitorização e regulação do amadurecimento da pera Rocha, após tratamento com 1-MCP, para assegurar a qualidade à chegada ao consumidor.

Os tratamentos preconizados como reversores do efeito “evergreen” do 1-MCP são baseados na indução de stresses capazes de desencadear a reativação dos recetores do etileno e de induzir o processo metabólico de amadurecimento, ao nível das enzimas e genes de biossíntese do etileno. Assim, peras conservadas com 1-MCP

serão expostas a fatores como temperatura, etileno exógeno, outros produtos/hormonas vegetais, a elevação da percentagem de CO₂ ou combinações destes fatores e serão monitorizadas através de sensores desenvolvidos para marcadores de amadurecimento selecionados, com o objetivo de modular o processo de amadurecimento para adaptar à venda em diferentes épocas do ano e às preferências dos diferentes mercados.

Palavras-chave

Pera Rocha; 1- MCP; Amadurecimento; Conservação 

Promotores / Parceiros

Líder: Frutus - Estação Fruteira do Montejunto, CRL

Co-promotores: RochaCenter - Centro de Pós-Colheita e Tecnologia, ACE | Escola Superior de Biotecnologia -Universidade Católica Portuguesa (ESB-UCP) | Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL). 

Coordenação Científica: Escola Superior de Biotecnologia - Universidade Católica Portuguesa (ESB-UCP)

Detalhes de Projeto

Período de Execução: 01/10/2019 - 30/09/2022

Orçamento:

 - Investimento Total: 894.543,82€

 - Investimento Elegível Total: 890.932,33€

 - Apoio Financeiro FEDER (Incentivo Não Reembolsável): 611.344,29€

barras-COMPETE2020-PT2020-FEDER.png